Claudia fotos








  • 18 de ago de 2016

    quinta-feira, agosto 18, 2016 4 Comments


    Quando estamos "sozinhos", procurando inutilmente uma paixão ou alguém que pelo menos se encaixe naquilo que tanto esperamos de um amor, perdemos tempo imaginando que ainda somos capazes de dizer ao coração quando é a hora certa de se apaixonar, ou por quem isso deve acontecer. Hoje sei que nada disso pode ser previsto, estamos sempre vulneráveis a sentimentos que resurgem e de uma hora para a outra conseguem conquistar novamente nossos corações e desfazer qualquer plano feito anteriormente. Você sempre esteve na minha vida, assim como uma brisa suave que foi ocupando espaço e que conquistou um lugar muito especial, seu jeitinho carinhoso, seu sorriso que encanta e o brilho especial no seu olhar foram mais que suficientes para que eu me entregasse novamente a esse sentimento. E quando me dei conta já estava apaixonada...de novo?! E a cada dia que passa percebo que você sempre vem na hora certa.

    7 de ago de 2016

    domingo, agosto 07, 2016 0 Comments

    AUSÊNCIA

    Rio de Janeiro , 1935

    Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
    Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
    No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
    E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
    Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado
    Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
    Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
    Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
    Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face
    Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada
    Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite
    Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa
    Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
    E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
    Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
    Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir
    E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas
    Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.