Claudia fotos








  • 6 de abr de 2019

    Harmonização de cervejas: saiba como combiná-las com as refeições!

    sábado, abril 06, 2019 6 Comments


    Você com certeza já ouviu falar que os vinhos podem ser harmonizados com os alimentos, certo? Mas, no post de hoje trazemos para você uma novidade: a harmonização de cervejas.

    Muita gente não sabe, mas existem vários tipos de cerveja, cada uma com métodos de fabricação, ingredientes e sabores distintos. É por isso que essa bebida tão apreciada pelos brasileiros pode ser consumida de maneira especial até mesmo por quem não tem muito conhecimento sobre o assunto.

    Quer saber mais sobre a harmonização de cervejas e conhecer algumas opções para adotar no seu dia a dia? Então, continue a leitura!

    Princípio da harmonização de cervejas

    Antes de apresentarmos os tipos mais comuns de cerveja e com quais pratos elas podem ser combinadas, é importante entender que as harmonizações podem ser de três naturezas:
    • por corte: quando os elementos da cerveja “quebram” a gordura do prato;
    • por contraste: quando as diferenças de sabores entre o prato e a bebida proporcionam novas experiências;
    • por semelhança: quando a cerveja e o alimento têm sabores semelhantes, que são valorizados.

    Pilsen

    Esse é o tipo de cerveja mais consumido no Brasil. Ele combina com pratos leves porque temperos e sabores intensos podem anular o seu sabor suave.

    Alguns alimentos são ideais para servir com esse tipo de cerveja, como azeitona, mandioca, nozes, castanhas, amendoim. Alguns peixes e frutos do mar também combinam com a Pilsen, mas lembre-se que é indicado escolher opções com sabor bem suave.

    American Pale Ale

    Essa categoria é composta por cervejas um pouco mais amargas, o que deixa a harmonização da American Pale Ale (APA) muito versátil. Para surpreender em sabor, a dica e apostar em alimentos mais fortes e temperados.

    As opções são variadas: carnes, frutos do mar, frituras, calabresa e alimentos bem apimentados, como chilli e taco, vão muito bem com as APA.

    IPA

    As cervejas do tipo Indian Pale Ale (IPA) são bem amargas, já que há grande quantidade de lúpulo em sua composição. Por isso, combinam bem com alimentos bem temperados e ricos em gordura.

    Se você deseja fazer uma boa harmonização com IPA, o churrasco é uma ótima pedida. Aposte em carnes como bisteca, costelinha de boi e linguiça. Pizzas e queijos fortes também dão muito certo com a cerveja tipo IPA.

    Weiss — cerveja de trigo

    A harmonização com esse tipo de cerveja é um pouco mais complexa. Nesse caso, é possível adotar o princípio de não optar por alimentos com temperos muito fortes. Por outro lado, a pimenta é uma opção que cai muito bem com Weiss.

    Escolher comidas mexicanas, saladas leves e petiscos como quibes, pastéis e salame é uma ótima estratégia para não errar na harmonização.

    Malzbier

    Quem aprecia uma cerveja escura não pode deixar de experimentar a harmonização de uma Malzbier com sobremesas. Como ela é levemente adocicada, com aroma característico de caramelo, essa combinação é muito apreciada. Chocolates, sorvetes, cheesecakes e tortas de frutas vermelhas são excelentes opões.

    Como você viu, não precisa se esforçar muito para começar a fazer a harmonização de cervejas com alimentos do dia a dia e, até mesmo, na sua própria casa. Com um pouco de criatividade, é possível elevar os sabores a outro patamar!

    Fonte: http://centerbox.com.br

    30 de mar de 2019

    A maturidade é perfeita...

    sábado, março 30, 2019 10 Comments
    ...com o passar do tempo eu gosto cada vez mais de quem me tornei...por dentro e por fora!


    Outro dia li uma frase que me identifiquei demais, assim estava escrito:
    “Antes eu caminhava entre eles e me perguntava se todos gostavam de mim, hoje eu olho em volta e me pergunto se eu gosto deles.”

    Esta frase trouxe a  reflexão sobre maturidade e aceitação, há uma fase na vida em que temos necessidade de sermos aceitos e amados por quem julgamos ser extremamente importante obter o reconhecimento e atenção, no fundo é apenas o ego, a auto estima que nos prega peças, gerando a necessidade da aceitação, quanto mais distante estamos de sermos aceitos, maior é a força que nos cobra esse resultado.

    Quando a aceitação não se concretiza, vem o sofrimento, a depressão, a revolta, enfim as várias formas de auto punição.
    Nesta fase, a maturidade ainda está em formação, não temos consciência do poder do “eu”. A maturidade nos permite ter a capacidade de perceber-nos, de nos encontrarmos no tempo e espaço, de sair das situações através de uma nova ótica e enxergar o todo.

    É como se conseguíssemos  ver os acontecimentos de fora, como se não fôssemos o personagem principal e assim ganhamos o poder de avaliar com imparcialidade e menos sofrimento, quanto mais maturidade, menos sofrimento e mais aceitação!

    A maturidade é perfeita... com o passar do tempo eu gosto cada vez mais de quem me tornei... por dentro e por fora! Aprendemos a nos incomodar menos com o que os outros pensam sobre nós e mais com o que pensamos sobre nós mesmos, afinal é isso que nos impulsiona na vida!
    A maturidade é reconhecer os próprios erros e ao mesmo tempo estar consciente de não ser perfeito, enxergar-se  em constante transformação.

    A maturidade é pedir perdão e querer ser melhor a cada dia através dos tropeços, quedas e recomeços.

    A maturidade é se olhar no espelho e pensar: Eu gosto do que vejo, me admiro, me cuido, me amo! Sou melhor agora do que antes,  evoluí! Como é boa a sensação de se olhar no espelho e gostar mais do hoje do que do ontem!
    Maturidade é valorizar o hoje porque o ontem ficou para trás e o futuro é desconhecido, o único momento que importa é o agora, aja, faça e aconteça! E se não der certo saiba reconhecer que fez o seu melhor!

    Texto: FABIANA DAINESE MAUCH

     www.gratidaoempalavras.com.br